09.05.2017 • Decoração

Como combinar cores na decoração? Saiba aqui!

O uso adequado das cores é fundamental para que qualquer estilo de decoração fique equilibrado. Para isso, existem ferramentas e truques que podem ajudar quem ainda sente dificuldades na escolha das tonalidades.

Ficou interessado no assunto? Reunimos algumas dicas que podem ajudar você a combinar cores com mais segurança e deixar os cômodos da sua casa ainda mais agradáveis. Acompanhe:

Analise o círculo cromático

O círculo cromático é um recurso valioso para quem quer aprender a usar diferentes tonalidades na decoração. Nele, as cores são dispostas uma ao lado da outra na mesma posição que estariam em espectro.

Como a posição das cores no círculo é sempre fixa, a tarefa de criar combinações fica muito mais fácil e garante bons resultados. Veja abaixo as três categorias:

Cores primárias

Correspondem a azul, vermelho e amarelo. São as três cores principais que, quando misturadas, originam todas as outras.

Cores secundárias

Representam as três cores originadas com a mistura dos tons primários. São elas o verde (azul + amarelo), o roxo (azul + vermelho) e o laranja (amarelo + vermelho).

Cores terciárias

Representam as cores originadas com a mistura de primárias e secundárias. A cor turquesa, por exemplo, é terciária e vem da união entre azul (primária) e verde (secundária).

Trabalhe com as paletas de cores

Após entender o círculo cromático, você já tem condições de escolher as principais cores que farão parte do ambiente. Para isso, é preciso respeitar algumas regrinhas de combinação baseadas na posição de cada cor.

Essas combinações são chamadas de paletas — ou seja, grupos específicos de cores que são muito usados na hora de decorar cômodos harmônicos.

Veja exemplos de paletas de cores e entenda como elas são formadas:

Paleta primária

Essa paleta é formada pela combinação das três cores primárias do círculo cromático: azul, vermelho e amarelo. Ela dá personalidade ao espaço e deve ser aplicada sobre um fundo neutro, como paredes, pisos e teto na cor branca.

Paleta análoga

Essa paleta é formada pela união de cores que se encontram lado a lado no círculo cromático. Nesse exemplo, é possível criar uma combinação harmônica entre laranja, vermelho e amarelo ou entre verde, roxo e azul.

Paleta complementar

As cores complementares são aquelas que se encontram em posições opostas no círculo cromático. Para exemplificar: verde e vermelho são cores complementares e dão origem a uma paleta que pode ser aproveitada na decoração.

Defina um objetivo para combinar cores

As cores têm o poder de transformar qualquer estilo decorativo; tudo depende da forma como são combinadas no ambiente. Para ajudar você nesse processo, listamos exemplos de objetivos que podem ser alcançados com a escolha de cada tonalidade:

Sensação de amplitude

As cores claras são ideais para cômodos pequenos porque dão sensação de amplitude. Nesse caso, aposte nos tons neutros, como bege, cinza claro e branco. Para o efeito oposto — ou seja, diminuir visualmente o espaço —, você deve usar tonalidades vibrantes, como laranja e vermelho, ou escuras, como preto, marrom e roxo.

Tranquilidade

Tons pastel são indicados para trazer paz e tranquilidade, sensações valorizadas em quartos e áreas de descanso. A dica é apostar no verde-claro, lilás ou azul-turquesa e manter tonalidades fortes em objetos decorativos menores, como quadros e bibelôs.

Motivação

Além das áreas de relaxamento, uma casa também possui ambientes que exigem um pouco mais de atenção para a execução de tarefas. É por isso que locais como escritórios e salas de estudo aceitam bem cores vibrantes, como amarelo e laranja. Além de maior motivação, essas tonalidades podem ajudar a manter o foco.

Agora que você conhece as regras básicas para combinar cores, já pode se desafiar na composição de um ambiente mais agradável de acordo com o seu objetivo.

Curtiu essas dicas? Então compartilhe-as com seus amigos nas redes sociais!

Deixe seu comentário!